Resenha: Coração Ferido – Chelsea Cain

Postado em Atualizado em

image

Oi! Estamos um tempinho sem postar né? Mas prometo que vamos compensar logo! Minha lista de leitura esta gigante… E eu sou do tipo que não sossega até ter tudo em ordem. Então paciência.

O livro de hoje é Coração Ferido da Chelsea Cain, lançado aqui em 2007 pela Suma. Ele é o primeiro livro da trilogia policial ‘Archie Sheridan & Gretchen Lowell’. Eu estava querendo ler ele a um tempinho já, mas como ele raramente entrava em promoção e era um pouquinho difícil de achar eu acabei deixando pra depois. Então eu fui em uma feirinha de livros em novembro e acabei comprando a trilogia completa. Eu já li todos , os devorei praticamente. E eu pretendia fazer a resenha da trilogia de uma vez só,mas quando eu terminei eu achei que não era legal, porque cada livro tem um foco diferente. Então eu vou resenha um por semana.

Sobre Chelsean Cain: ela é um pessoa interessante. Até as dedicatórias dela são diferentes. E quando você está lendo seu trabalho você percebe a personalidade dela a cada linha. Nem todo escritor consegui passar tanto de si mesmo para um estória como ela. Ela é oficialmente uma das minha preferidas agora. Então Suma, se você estiver lendo isso agora, traga os outro livro dela para o Brasil, please. 

Não há nada naquele rosto. Nenhuma raiva. Nenhum prazer. Nenhuma compaixão. Nada.

-Está com medo? – pergunta Gretchen.

Ela tateia com um pano sua testa, bochecha, nuca e clavícula. Archie imagina ver uma faísca de emoção nos olhos dela. Piedade?

Então ela some.

-Não importa o que você esteja esperando – sussurra ela. – Vai ser pior.

Nesse primeiro livro a gente conhece o Archie, um policial que passou 10 anos seguindo um serial killer. A equipe mudava , os comandantes e etc.. mas o Archie permaneceu desde o primeiro assassinato. Também foi o primeiro caso dele, então tem todo esse envolvimento mais profundo, esse compromisso com as vitimas. Ele acaba virando o comandante da força tarefa Beleza Mortal , que também é o nome que a mídia deu ao assassino. E depois de anos ele consegue prender esse serial killer, mas antes disso ele é capturado e torturado por 10 dias.

image

Um ponto extra para Cain pelo desenvolvimento da Gretchen, nossa assassina. Ela é simplesmente genial. As vezes chega a ser absurdo porque no fim do livro as coisas mais aleatórias que acontecem você descobre que é culpa dela. Que ela planejou anos antes e executou , mesmo estando presa. Gretchen Lowell é praticamente uma força da natureza.

Eu não tenho nada com o que comparar a ela. Ultimamente os livros e filmes de serial killer’s tem essa tendencia a colocar justificativas para os atos. Inclusive alguns dos meus preferidos, Hannibal e Dexter, tem aquele passado sombrio para combinar com seus hobbys igualmente sombrios. Gretchen sai fora do padrão nesse sentido, ela é apenas muito má. Simples assim. Ela não critérios ou manias, nem necessidades, ela gosta do que faz e esse é seu único motivo.

Archie e Gretchen acabam desenvolvendo uma relação conturbada que vai além da conexão policial x assassino. Nesse primeiro livro nos temos pouca perspectiva da Gretchen além das memorias do Archie, o que é muito bom e muito ruim. E ruim porque você fica extremamente curioso em relação a ela e bom porque você começa a entender o nível das emoções do Archie para ela. Eu digo ‘começa’ apenas, porque ainda tem esse monte de pequenas dúvidas que só vão ser respondidas no próximo livro.

Vale ressaltar que apesar de Gretchen ser muito inteligente, Archie está a sua altura. Ele conhece ela melhor que a si mesmo. Então mesmo quando ele pode estar parecendo fragilizado, não o subestime.

De repente, Susan teve a irritante sensação que de tudo o que ela descobrira até aquele momento sobre Archie Sheridan era exatamente o que ele queria que ela soubesse. Cada entrevista. Cada pista. Para quê? Talvez estivesse apenas cansado de mentir. Talvez quisesse que todo mundo soubesse dos segredos dele, para não ter que se esforçar tanto para esconde-los. Viver fingindo pode ser uma coisa exaustiva.

Mas um bom livro não é só feito de bons protagonistas,como  de bons coadjuvantes também. E Coração Ferido não deixa a desejar nesse sentido. Não da pra falar de um por um, mas basta saber que ele tem dois núcleos de acordo com as narrativas. O primeiro é o policial, que é narrado pelo Archie. Nele conhecemos Henry, Clare, Buddy, Anne e etc.. além da família do Archie. Desse quem mais se destaca é o Henry, que é o melhor amigo do Archie e ex-parceiro. Dentre todos os personagens ele é o que tem mais consciência no nível da relação Archie/Gretchen, e por isso é um dos mais preocupados com o bem estar dele, mesmo que isso as vezes interfira no seu trabalho como policial.

image

Os outros personagens são apresentados por Susan, nossa seguinte narradora. Ela é uma jornalista que foi encarregada de escrever um perfil do Archie, por isso esta presente na maior parte dos acontecimentos principais do livro. E outros motivos que não devem ser sitados também.

– A cor está saindo. Vamos para o salão que eu retoco. O rosa lhe cai bem.Você está tão bonita.

-Não sou bonita – disse Susan , virando o rosto. – Sou arrebatadora. É diferente.

Através dela conhecemos os funcionários do Herald Journal. Nesse primeiro livro ela pode ser um pouco problemática, mas isso melhora bastante mais à frente. E é sempre legal pra mim ler sobre a dinâmica em um jornal.

Eu adorei o livro de ponta a ponta. Ele é bem desenvolvido, a narrativa não deixa a desejar e por isso ele flui em uma velocidade confortável. Foi uma ótima abertura pra série. Não é tão chocante quando me descreveram, mas isso não diminui a intensidade do livro. Pode ser um defeito meu já que consumo o gênero loucamente, então estou mais que anestesiada em função disso. Provavelmente é isso já que as resenha que eu li e até mesmo a moça que eu comprei o livro mostraram reações bastante conturbadas rs.

Se você já leu o livro deixe sua opinião, eu estou ligeiramente ansiosa pra conversar com alguém que leu ele. Se não leu e gosta do gênero leia. Não indico ele para os românticos clássicos, já que pode sim ser ligeiramente perturbador nesse sentido. Semana que vem eu volta pra resenha Coração Apaixonado, o segundo livro da série Archie sheridan & Gretchen lowell.

Ele olhou para longe, para a noite.

-Eu desisti de tudo que eu amava naquele porão – explicou Archie. Sua voz estava baixa, sob controle. – Meus filhos. Minha mulher. Meu trabalho. Minha vida. Eu iria morrer. Nos braços dela. E não me importava. Porque ela estaria lá. – Ele encarou Anne. – Cuidando de mim.

-Ela é uma psicopata.

Um táxi amarelo entrou no pequeno estacionamento atrás do prédio.

– Eu sei – disse Archie, dando um passo em direção a ele. – Mas é a minha psicopata.

subpost

Anúncios

3 comentários em “Resenha: Coração Ferido – Chelsea Cain

    Ana da Mata disse:
    11 de dezembro de 2014 às 16:06

    Minha vontade de ler essa trilogia aumentou depois da sua resenha. Comprando livros ja!

    Curtir

    TAG: Taylor Swift Book Tag « It Geek Girls disse:
    13 de junho de 2015 às 09:59

    […] é uma questão que ficaria bem mais legal em um vídeo né? Mas okay; eu escolho Coração Ferido da Chealsea Cain, um livro policial com uma das melhores serial killer da literatura […]

    Curtir

    TAG: Taylor Swift Book Tag | It Geek GirlsIt Geek Girls disse:
    18 de julho de 2015 às 19:51

    […] é uma questão que ficaria bem mais legal em um vídeo né? Mas okay; eu escolho Coração Ferido da Chealsea Cain, um livro policial com uma das melhores serial killer da literatura […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s