Resenha: Caçadores de Bruxas – Raphael Draccon

Postado em Atualizado em

IMG_20150428_115927

Sinopse :Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltam contra as antigas raças. E assim nasce a Era Antiga.Essa influência e esse temor sobre a humanidade só têm fim quando Primo Branford, o filho de um moleiro, reúne o que são hoje os heróis mais conhecidos do mundo e lidera a histórica e violenta Caçada de Bruxas.Primo Branford é hoje o Rei de Arzallum, e por 20 anos saboreia, satisfeito, a Paz. Nos últimos anos, entretanto, coisas estranhas começam a acontecer…Uma menina vê a própria avó ser devorada por um lobo marcado com magia negra. Dois irmãos comem estilhaços de vidro como se fossem passas silvestres e bebem água barrenta como se fosse suco, envolvidos pela magia escura de uma antiga bruxa canibal. O navio do mercenário mais sanguinário do mundo, o mesmo que acreditavam já estar morto e esquecido, retorna dos mares com um obscuro e ainda pior sucessor. E duas sociedades criminosas entram em guerra, dando início a uma intriga que irá mexer em profundos e tristes mistérios da família real. E mudará o mundo.

Que prazer foi ler esse livro! Eu mal sei por onde começar a definir seus pontos fortes; são muitos! O mundo de Éter ultrapassou qualquer preconceito existente em relação a literatura brasileira – principalmente contemporânea.- logo nas primeiras páginas. E são raros o livros que fizeram isso por mim; os autores um número menor ainda. Onde Nazarethe Fonseca, André Vianco e Carina Ricci abriram seu lugar com calma e talento, Raphael Draccon revindicou seus direitos como um dos meus preferidos logo de cara; não houve tempo ou a mínima chance de abandonar ‘Caçadores de Bruxas’ logo que comecei a primeira página, sendo pega pela armadilha acolhedora da narrativa íntima de Draccon.

A fabula fantástica que é Dragões de Éter, se passa em um mundo onde seus Criadores – os tão mencionados semideuses .- não apenas dependem da fé de duas criações, eles próprios devem crer nelas com todas as forças e assim garantir sua existência e a existência de suas criações. Senso assim, cada personagem e lugar que nos encontramos – ou reencontramos, como acontece com alguns.- depende da imaginação de suas semi divindades pra existir; ganhar forma no mundo de Éter.

IMG_20150428_120153

E é nesse ambiente cheio de possibilidades que conhecemos personagens fortes e peculiares, como qualquer bom conto de fadas. Logo de inicio somos reapresentados a personalidades icônicas da nossa infância; Ariane, com seu chapéu vermelho sangue, literalmente; Maria, uma garota extremamente perspicaz e inteligente, sendo apenas superada pelo seu irmão, o aventureiro João. Até o gato de botas marca sua presença!

Refiro-me a um nome, um apelido. Um fardo; uma alucinação denominada pela forma de um antigo e sinistro chapéu alvacento infantil, friamente manchado pela cor do sangue de uma senhora simpática dilacerada e de um lupino abatido.
Um legitimo e maldito chapéu vermelho.

É claro, do outro lado da linha moral, o pirata Jamil. Você pode não o conhecer, mas uma dica: ele é o sucessor do seu pai – um notório e maligno pirata com tendencia a viajar pelo Nunca.- no navio Jolly Roger.

Um dia meus oponentes poderiam vencer, mas não hoje…
E foi assim que nasceu Jamil Coração de Crocodilo.

Mas os personagens originais como Primo Branford e seu caçula Axel, ou o Caçador, também conhecido como ‘herói’; e Snail Galford, que foi crescendo no meu conceito, também marcam presença e são igualmente importantes. Cada personagem tem seu papel destacado e explorado na narrativa onisciente de Draccon.

Aliás, um dos pontos fortes do livro, talvez o maior , é a narrativa. Eu estava lendo e era como se o autor estivesse do meu lado contando a estória. Cheio de ‘Atenção!‘ ou ‘Repare nesse sujeito!’ ou o meu preferido ‘Um… dois… e três… e imagine!’; você acaba terminando o livro se sentindo o amigo mais intimo do autor.

IMG_20150428_120028

Eu não posso detalhar muito sobre o enredo, porque absolutamente qualquer coisa que eu diga vai ser um grande ‘spoiler‘. Mas concluindo, Caçadores de Bruxas é um livro fantástico e merece ser lido. Só tenho agradecimentos a Raphael Draccon por criar esse universo maravilhoso e o descrever tão bem. É refrescante encontrar autores brasileiros que não deixam a desejar em nenhum sentido aos bestsellers internacionais. Eu não acredito que não li esse livro antes série, como ?

E antes que eu esqueça, meus parabéns a Leya, a diagramação do livro esta perfeita. A letras poderiam ser um pouco maiores – mas isso é a sugestão de uma míope,então ignorem. Eu quero que todos os livros do mundo tenham letras maiores. – mas o resto esta ideal. E a capa é uma coisa linda; mas como não ser quando tem a assinatura do Marc Simonetti? Pra que não conhece, eles também ilustrou As cronicas do gelo e fogo, O nome do vento, Star Wars e etc.

Bem, é isso. Se você já leu deixe sua opinião e se não, tem minha garantia que vai ser um tempo bem gasto. ❤

E Axel olhou para o céu brilhante.Poderia parecer loucura, mas os olhos acreditavam que, mesmo naquele céu azul e brilhante, ele conseguia ver a luz de uma estrela, muitos anos-luz dali. Não importava o que diriam os sábios, a estrela Blake,o astro do amor, estava olhando por ele naquela caminhada, e ele tinha total crença nisso. Por isso, pediu em pensamentos, da forma mais humilde que um príncipe poderia faze-lo, que olhasse também por Maria Hanson. Ele sabia que as estrelas costumavam ter seus donos e, que o desculpassem os antigos donos de Blake, mas aquele astro, a partir da noite anterior, seria de dois jovens de destinos tão incertos quanto ver o brilho de uma estrela em pleno céu azul. E por isso, naquele momento, diante dos semideuses, o príncipe tomou a posse do astro.
E quem, já tendo amado uma vez na vida, iria culpá-lo por isso?

subpost

Anúncios

7 comentários em “Resenha: Caçadores de Bruxas – Raphael Draccon

    Gustavo Mendes disse:
    28 de abril de 2015 às 20:58

    Olá!
    Adorei sua resenha, e fiquei bem louco por esse livro.
    Amo fantasia e autores nacionais, e é até uma vergonha não ter lido nada do Draccon até hoje.
    Mas pretendo mudar isso em breve.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/2015/04/li-ate-pagina-100-terras-metalicas.html

    Curtir

      itgeekgirls respondido:
      28 de abril de 2015 às 22:33

      Depois que eu terminei também me senti meio envergonhada por ter demorado tanto pra ler os livros do Raphael Draccon. Ele é um ótimo escritor, não deixa nada a desejar a autores internacionais.
      E obrigado ❤

      Curtir

    Beatriz disse:
    29 de abril de 2015 às 00:20

    Olá, eu não gosto muito de livros desse tipo, gosto de literatura fantástica mas bruxas e dragões não me agradam muito, talvez por minha experiência não ter sido boa, mas enfim, não é porque não gosto que não sei reconhecer um bom livro, para quem gosta deve ficar fascinando com esse, sua empolgação é tanta que talvez, algum dia eu possa ler!

    Curtir

    Blog Meu Mapa disse:
    29 de abril de 2015 às 00:57

    Parabéns pela resenha! Li e amei este livro. Estou no segundo e mal vejo a hora de terminar para começar o próximo!

    Curtir

    Maiara Vieira disse:
    29 de abril de 2015 às 03:20

    Oi tudo bem?
    Ainda não conhecia o autor, o que é uma vergonha, pois seu livro parece ser incrível!
    Fantasia não é meu gênero favorito, mas eu adoro me aventurar por essas leituras de vez em quando!
    Achei a premissa e tudo que você contou na resenha sobre a história muito interessante e a capa desse livro está realmente incrível!

    Beijo :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    Curtir

    Andresa Façanha disse:
    30 de abril de 2015 às 03:55

    Uau, essa resenha ficou show!
    Não sabia que o livro era nacional, mesmo vendo a capa várias vezes por aí! Li poucos livros fantásticos, mas vc falou tão bem desse que bateu uma vontade… Hehehe!
    Fico feliz de ver que os escritores brasileiros estão ganhando cada vez mais espaço entre os leitores do próprio país! Isso é maravilhoso!
    Bjos!
    [Um dia me livro…]

    Curtir

    Vinícius disse:
    30 de abril de 2015 às 15:07

    Olá!
    Que resenha linda, me fez me apaixonar pelo livro, ainda mais com essa capa maravilhosa. Não curto muito fantasia, na verdade nunca cheguei ler um inteiro, mas só de pensar que é de autor nacional, já me faz feliz! ❤ Abraços! http://www.ancoradepapel.blogspot.com

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s