Resenha: O Resgate no Mar ( Part 1) – Diana Gabaldon

Postado em Atualizado em

image
Que Outlander é minha série literária e televisionada preferida do momento já é um fato conhecido; estou respirando a obra da Diana Gabaldon nos últimos meses e não tenho ideia como não entrei em contado com a estória de Claire e Jamie,- e posteriormente Brianna e Roger -, a anos antes. A autora é uma das da minha preferidas da vida, com seu detalhismo na narrativa e cuidado especial para dar evidencia a personalidade dos personagens, além de sua cota de referencias, fazendo desse e dos anteriores meta-livros, cheio de nomes importantes da literatura e fatos históricos bem distribuídos. Consequentemente, estava muito ansiosa para o terceiro livro; que ia ser lançado em maio, mas foi adiado para o primeiro dia desse mês. E a Saída de Emergência se apressou esse mês e logo no dia seguinte eu já estava recebendo o livro O Resgate no Mar.

O terceiro volume da série é dividido em duas partes como as edições anteriores da Rocco. Eu gosto bastante dessa forma, porque ajuda na conservação do livro. São 1010 páginas no total e não há lombada que sobreviva reta e intocada a essa leitura; minhas edições de Guerra dos Tronos infelizmente sabem o que estou dizendo. Eu pensei e pensei se iria esperar o lançamento da parte 2 para resenhar o livro, mas acabei optando por seguir a ordem da editora. Acontece muita coisa na primeira parte e deduzo que o mesmo ocorra com a segunda, e quero dar a devida atenção aos acontecimentos do livro.

image

Em A Libélula no Âmbar somos chocados logo no inicio, Claire não esta com Jamie e sim na sua época original, viuvá do Frank e com uma filha adulta que é a imagem viva de Jamie Fraser. Durante esse livro ela explica o que ocorreu e pede ajuda a Roger – filho de Geillis e Dougal – para saber o que aconteceu com o amor da sua vida; é a partir da descoberta de Roger, que Jamie estava vivo vinte anos depois de Claire ir embora, que começa O Resgate no Mar.

Aqui Claire divide a narrativa com os já presentes trechos de Roger e o próprio Jamie. Em paralelo com a busca por provas da vida de Jamie temos a narrativa do próprio sobre os acontecimentos dos vinte anos que ele passou sem Claire no século XVIII. Nosso primeiro contato com ele acontece na batalha de Culloden – essa parte em especifico vai satisfazer quem tem sede de vingança contra Jack Randall – onde um Jamie quase morto é resgatado pelo irmão de Lord John Grey, devido á divida que ele tinha com Jamie. Alias, Lord Grey é um dos personagens mais interessantes do livro; lembra do menino que defendeu a honra da Claire contra Jamie e seus bárbaros escoceses no segundo livro? Pois bem, ele esta de volta e ainda é igualmente honrado e não esqueceu Jamie Fraser, mesmo que seus sentimentos sobre o ruivo mudem no decorrer. Espero encontrar o personagem novamente durante a série, de preferencia logo.

– Ele deu você para mim – ela disse, tão baixo que eu mal conseguia ouvi-la. – Agora eu tenho que devolvê-la a ele, mas mãe…

Os olhos tão iguais aos de Jamie fitaram-me, rasos de lagrimas.

– Se o encontrar – ela murmurou -, quando encontrar meu pai… dê-lhe isto. – Ela inclinou-se e beijou-me, impetuosa e delicadamente  […]

Já na escócia do século XX Claire se questiona sobre o que fazer com o fato de poder rever Jamie; por um lado ela nunca esqueceu seu amor e está ansiosa com a perspectiva de finalmente o rever, por outro temos Brianna, filha de Jamie, que precisa da mãe. É uma escolha entre os dois amores da sua vida e as repercussões desta; mas isso não se limita a Claire, como também a Brianna e Roger, que são unidos pela busca e abrem seu espaço nesse volume ao lado dos protagonistas.

São vinte anos separados, isso é uma pequena vida e Diana não limita as cicatrizes desse tempo perdido nos personagens. Ela explora isso na mudanças do tempo nos personagens; como Fergus, o órfão francês que retorna como uma homem adulto. Na própria relação de Jamie e Claire, que apesar de se amarem tão intensamente como antes não se conhecem mais, vão se adaptando um ao outro novamente ao mesmo tempo em que recuperam o tempo perdido. Em Brianna, que agora sabe que tem um pai duzentos anos antes e começa a mergulhar mais e mais na curiosidade e até no orgulho pelos feitos deste. Aqui é preenchida todas as lacunas desses vinte anos, da vida de Claire e Jamie e como isso influenciou os mesmo; fazendo de Jamie um homem mais duro e de Claire uma mulher mais insegura, apesar de bem sucedida.

Aqui conhecemos os personagens novamente e nos preparamos para o reencontro; que pra mim foi emocionante e cheio de nostalgia, dando o impacto necessário sem ser excessivamente dramático. A autora reafirma seu talento e nos deixa ainda mais fixados na estória, que sempre tem mais a desenvolver, mais possibilidades, apesar do tamanho dos livros e do detalhismo da autora; sempre há aquela vontade de ler o próximo imediatamente, de voltar ao mundo de Outlander.

– Eu a tenho visto tantas vezes – ele disse, a voz sussurrante e morna em meu ouvido. – Você veio a mim tantas vezes. Em sonhos, ás vezes. Quando estava delirante de febre. Quando eu precisava de você, eu sempre a via, sorrindo, com seus cabelos cacheados em volta do rosto. Mas você nunca falou comigo.Nem nunca me tocou.

– Posso tocá-lo agora. – Deslizei a mão suavemente por sua têmpora, seu ouvido, sua face e maxilar, tudo que eu podia ver. Levei a mão à sua nuca, sob os cabelos cor de cobre, e ele finalmente ergueu a cabeça.

Ele segurou meu rosto entre suas mãos, o amor reluzindo com força nos olhos azuis escuros.

– Não tenha medo – ele disse suavemente. – Agora, somos só nós dois.

Mal posso esperar para ler a segunda parte e concluir O Resgate no Mar; a primeira parte cimentou essa ansiedade. A editora tinha divulgado que iria lançar o próximo em julho, mas com o adiamento do lançamento do primeiro não tenho ideia se a data se mantém ou vai ser adiada também. Eu espero que sim.

Em breve vou fazer a critica completa sobre a série; se você esta assistindo ou lendo os livros sinta-se livre para deixar sua opinião e se não, espero ter incentivado.

nwesub

Anúncios

3 comentários em “Resenha: O Resgate no Mar ( Part 1) – Diana Gabaldon

    Erika disse:
    6 de junho de 2015 às 16:25

    Ainda nao conhecia esse livro. Achei interessante a resenha.

    http://pardedoiis.blogspot.com.br/

    Curtir

    Isabela disse:
    7 de junho de 2015 às 15:35

    Amo ler,otimo post!!

    Curtir

    TAG: Taylor Swift Book Tag « It Geek Girls disse:
    13 de junho de 2015 às 09:59

    […] e Claire ❤ Sim, Outlander aqui de novo. Apenas estou amando tanto essa série que ela está em todos os lugares. Eles são um […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s