Resenha: Anjo Mecânico – Cassandra Clare

Postado em Atualizado em

SAM_6592Anjo Mecânico é o primeiro livro da trilogia Peças Infernais, da autora Cassandra Clare lançado aqui no Brasil pela editora Record.

Eu sou uma grande fã da série Os Instrumentos Mortais, e obviamente não podia deixar de ler sobre os antepassados dos caçadores das sombras. Assim que Anjo Mecânico lançou aqui no Brasil eu comprei, mas por já conhecer a nossa querida Cassandra, achei melhor esperar lançar o segundo, ainda mais depois de diversos comentários que ouvi do livro.

Agora 3 anos e 2 livros depois(finalmente!) tomei vergonha na cara e comecei a ler o livro. E devo dizer que me decepcionei um pouco…

Tessa é uma jovem americana que cai de paraquedas na Inglaterra e é bombardeada por incríveis descobertas que irão abalar sua vida. Após seu irmão Nathaniel ir atrás de um emprego no clube chamado pandemônio, uma vez que seu pai havia sido um funcionário “estimado” para o dono. Nathaniel lhe enviou uma passagem de navio e pediu que fosse encontrá-lo.

Chegando ao porto, diferente do que Tessa imagina não era seu irmão que a estava esperando. Mas, sim, duas mulheres sombrias, as irmãs Dark e Black.

– Theresa Gray – disse a mais baixa. – Que prazer conhecê-la afinal. Sou a sra. Black, e esta é a minha irmã, Sra. Dark. Seu irmão nos mandou para acompanhá-la até Londres.

Tessa – abatida, com frio e espantada – enrolou o xale molhado com mais firmeza em volta de si.

– Não entendo. Onde está Nate? Porque não veio pessoalmente?

– Ficou retido por negócios inadiáveis em Londres. Mortmain não pôde liberá-lo. Mas enviou um bilhete para você. – A sra. Black entregou um bilhete enrolado, já molhado pela chuva.

O que Tessa jamais iria imaginar, é que essas irmãs eram bruxas, que iriam privá-la de sua liberdade. Durante sua estadia, ela descobre que seu irmão foi feito de prisioneiro pelo Magistrado, o novo comandante do submundo,  se ela não fizer o que as irmãs mandam, seu irmão irá morrer.

Logo  as irmãs fazem com que Tessa passe por experiências assombrosas explorando seus poderes , poderes que Tessa não entende e não sabia que possuía até então.

Vigiada pelas irmãs e seus autômatos(que são um tipo de “robô”. Eles são frios e sem alma, e possuem um toque demoníaco.) Ela tenta sem sucesso fugir algumas vezes, mas sua sorte muda quando o misterioso jovem aparece na casa das irmãs Black e leva Tessa com ele.

A Maçaneta girou, a porta se abriu. Sob a luz fraca, tudo o que Tessa podia ver eram as sombras enquanto alguém entrava no quarto. Avançou atirando o jarro com toda a força…

A figura sombria se moveu, rígida como um chicote, mas não o bastante, o jarro acertou o braço esticado da criatura ao voar das mãos Tessa, antes de bater na parede oposta. Louça quebrada choveu no chão quando o estranho gritou.
O grito era inegavelmente masculino. Assim como a enxurrada de palavrões que se seguiu.
Uma luz resplandecente brilhou pelo quarto, como se o sol tivesse nascido. Tessa girou, piscando para tirar as lágrimas dos olhos-e congelou.

Havia um menino diante dela. Não podia ser muito mais do que ela – 17, ou possivelmente 18 anos.
Não usava colete, e alças espessas de couro estavam cruzadas sobre a cintura e o peito.
Armas estavam presas a elas – adagas, facas dobráveis e coisas que pareciam lâminas de gelo.

O jovem acaba por ser um caçador das sombras, seu nome é William Herondale. Ele leva Tessa até o instituto, que é dirigido por Charlotte Branwell e seu marido Henry Branwell. Lá, ela conhece Jem Carstairs, Jessamine Lovelace e outros que são órfãos iguais a ela; Agora que Tessa aprende cada vez mais sobre  os caçadores de sombras e o submundo, mais do que nunca está determinada a obter mais conhecimento e a controlar seus poderes para sobreviver e resgatar seu irmão custe o que custar.

SAM_6595Como disse no inicio da resenha, esse livro me decepcionou, pelo fato de que a Cassandra não soube recriar a época. A única coisa fiel foi o cenário e as roupas, mas francamente eu esquecia completamente da época, só lembrava realmente quando eles iam usar a “carruagem” e pelo fato deles terem “criados”. E isso me decepcionou, porque para quem conhece e é uma fã aficionada da época como eu, isso vai ser um balde de água fria.

Mas, como também disse  no inicio do post, sou fã do universo de TMI. Assim como os outros livros dos caçadores das sombras, a estória desse não deixou a desejar. E os personagens continuam sendo cativantes e espirituosos, e ver os antepassados dos meus personagens favoritos, não há palavras.

assinatura Uly

Anúncios

5 comentários em “Resenha: Anjo Mecânico – Cassandra Clare

    imthestargirl disse:
    29 de junho de 2015 às 18:12

    Quero ler Os Instrumentos Mortais, e esse série aí a muito tempo, mas nunca lembro e acabo comprando outros livros. parabéns pela resenha, muito informativa e sem spoilers, adorei!

    Curtir

    Giulia Ladislau disse:
    30 de junho de 2015 às 17:35

    Oi, Uly!
    Tentei ler Cassandra e não consegui gostar, até porque fantasia não faz o meu estilo. Vejo opiniões contraditórias sobre essa série. Você não gostou muito, mas conheço quem tenha adorado. rsrs
    Que bom que mesmo assim você soube aproveitar os pontos positivos pra conhecer mais sobre o mundo e antepassados de personagens que te conquistaram.
    Beijinhos!
    Giulia – http://www.prazermechamolivro.com

    Curtir

    Dreeh Leal disse:
    1 de julho de 2015 às 00:05

    A boate!!!
    Eu tenho todos os livros de TMI, mas ainda nao li todos. Essa saga sempre me chamou mais a atenção, mas achei chato a falta de ambintação. Isso pode me incomodar muito também. Mas parece valer a pena =)

    Beijinhos ;*
    Andressa – Mais que Livros

    Curtir

    Aline Gonçalves disse:
    4 de julho de 2015 às 00:16

    Oie, tudo bom?
    Também acho que uma história precisa ter a ambientação correta da época em que a história se passa para que o leitor seja transportado para isso. Nunca li nada da Cassandra Clare acredita? Quero ler um dia, mas no momento a autora não está nos meus planos.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    Curtir

    Gabis {RDL} (@gabiswonder) disse:
    7 de julho de 2015 às 20:04

    Até hoje só li Cidades dos Ossos das Cassandra, mas tenho muita curiosidade de ler essa trilogia. Não sabia desse “defeito” na história, já que todo mundo fala muito bem, mas fico feliz em saber que não atrapalhou a leitura.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s